Entre em contato:

Entre em contato:
e-mail: flavio@amputadosvencedores.com.br

telefones: (43) 3338-1791 e 9997-6275

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Magnitude e impacto das lesões causadas pelo trânsito

As lesões causadas pelo trânsito são um crescente problema de desenvolvimento e de saúde pública mundial.  Essas evidências demonstram a gravidade do problema na atualidade e indicam que ele se agravará se nenhuma medida apropriada for tomada.


Estimativas e padrão global


Foram utilizados os dados fornecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Banco Mundial para as análises estatísticas que formam a base do Relatório mundial sobre prevenção de lesões causadas pelo trânsito no mundo.

Em suma, esses dados mostram que, em 2002:

●  1,2 milhão de pessoas morreram no trânsito. Isso significa que, em média, foram 3.242 óbitos a cada dia nas vias terrestres em todo o mundo.
● Entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sofreram lesões ou ficaram incapacitadas devido às colisões no trânsito.
● As lesões causadas pelo trânsito ocupavam a 11 a posição na lista das principais causas de óbitos
no mundo, respondendo globalmente por 2,1% de todas as mortes. Além disso, esses óbitos foram responsáveis por 23% de todas as mortes por lesões em todo o mundo (Figura 1.1).
● 90% das mortes no trânsito ocorreram em países de baixa e média renda, onde vivem 5.098 milhões de pessoas (81% da população mundial), e em cujas vias circulam cerca de 20% da frota mundial de veículos automotores;

                                                                              No Brasil 




As principais conclusões sobre as tendências e projeções globais apresentadas no Relatório mundial sobre prevenção de lesões causadas pelo trânsito  estão resumidas abaixo:

● O número de lesões causadas pelo trânsito continuou aumentando em todo o mundo, porém a
partir da década de 1970 observa-se uma tendência global de redução das mortes no trânsito em países de alta renda, e um aumento em vários países de baixa e média renda
● As projeções indicam que as lesões causadas pelo trânsito devem subir do décimo lugar em 2002 para o oitavo lugar até 2030 como um fator contribuinte para a carga global de doenças
● As projeções indicam que, se nenhuma medida for adotada, as mortes no trânsito devem aumentar em 83% nos países de baixa e média renda, e reduzir em 27% nos países de alta renda. Prevê-se que
o aumento global seja de 67% até 2020 se nenhumaação apropriada for tomada

Quem é afetado pelas lesões causadas pelo trânsito?

O Relatório mundial sobre lesões causa das pelo trânsito (1) indica que existem diferenças visíveis na forma como os diferentes usuários das vias são afetados pelas colisões no trânsito, conforme resumido abaixo:



● Mais da metade de todas as mortes globais no trânsito ocorrem em jovens entre 15 e 44 anos de idade.
●73% de todas as vítimas de fatalidades globais de trânsito são do sexo masculino.
●Os vulneráveis usuários das vias – pedestres, ciclistas e motociclistas – representam uma proporção muito maior de colisões de trânsito nos países de baixa e média renda do que em países de alta renda.

Estimativas globais dos custos das colisões no trânsito:

●518 bilhões de dólares em todo o mundo;
●65 bilhões de dólares nos países de baixa e média renda, ultrapassando a quantia total recebida em
ajuda para o desenvolvimento

Efeitos socioeconômicos e na saúde devido às lesões causadas pelo trânsito

As lesões causadas pelo trânsito acarretam danos emocionais, físicos e econômicos. Existe um imperativo moral para que essas perdas sejam minimizadas. O argumento em favor da redução das mortes e lesões no trânsito pode também ter fundamentação econômica, já que consomem sig nificativos recursos financeiros que os países não podem se dar ao luxo de perder. 

Estimar o custo das lesões causadas pelo trânsito para a sociedade, é importante:

●para justificar o gasto necessário de promover a prevenção das lesões e mortes no trânsito;
● para fazer o melhor uso dos investimentos quando diferentes opções estiverem disponíveis;
● para assegurar que as melhorias mais rentáveis de segurança sejam traduzidas em termos de benefícios a serem gerados em relação ao custo da sua implementação

Curiosidades do trânsito mundial


● Em todo o mundo, cerca de 1,2 milhão de pessoas morrem a cada ano em colisões no trânsito.
● Entre 20 milhões a 50 milhões ficam feridos ou incapacitados.
● As lesões causadas pelo trânsito respondem por 2,1% da mortalidade global e 23% de todas as mortes por lesões em todo o mundo.
● Prevê-se que a posição ocupada pelas lesões causa das no trânsito, como um fator contribuinte para
a carga global de doenças, suba da décima posição em 2002 para a oitava até 2030.
● Nas últimas quatro décadas, houve uma tendência global de redução nas mortes no trânsito em países de alta renda e um aumento nos países de baixa e média renda.
●Globalmente, o custo econômico das colisões no trânsito é de aproximadamente 518 bilhões de
dólares, dos quais os países de baixa e média renda respondem por 65 bilhões de dólares.
● As lesões causadas pelo trânsito impõem significativa carga financeira nas famílias. Muitas são
levadas à pobreza pelo custo do cuidado médico prolongado, pela perda de um arrimo de família ou pelos gastos adicionais necessários para cuidar de pessoas incapacitadas
●Os que sobrevivem, suas famílias, amigos e outros cuidadores geralmente sofrem efeitos sociais, físicos e psicológicos adversos


Os acidentes de trânsito se transformaram num dos problemas mais graves que a população brasileira enfrenta nos seus deslocamentos, diários ou não.

Os objetivos básicos de um trabalho voltado para o aumento das condições de segurança do tráfego são: 

a) reduzir os números globais de acidentes, de mortos e de feridos;
b) reduzir o risco presente nas vias;
c) reduzir as consequências dos acidentes. Para cada um destes objetivos, pode-se ter um conjunto de medidas apropriadas, mas de caráter distinto.
  •  Por exemplo, para o primeiro grupo (a), pode-se lançar mão de medidas que façam com que os usuários abandonem os veículos particulares e passem a utilizar modos de transporte mais seguros, como o metrô, por exemplo (cerca de 95% dos acidentes de transporte no Brasil ocorrem no modo rodoviário 
  • Para o segundo grupo de objetivos (b), o poder público pode direcionar seus esforços para uma ação fiscalizadora do trânsito, para a identificação e tratamento dos pontos críticos em áreas urbanas e para a educação para o trânsito.
  •  Finalmente, para o último conjunto de objetivos (c), o incentivo ao uso de equipamentos como o cinto de segurança (no interior de veículos) e o capacete (para ciclistas e motociclistas), ou ainda o socorro aos acidentados são uma forma de diminuir a gravidade dos acidentes.